DICIONÁRIO

Encontre aqui a definição de alguns termos usados no meio Cinófilos.

 

AD

É uma prova muito utilizada na Alemanha, que é feita com o cão em trote por 15 km, com um intervalo de 15 minutos na metade do percurso. É uma prova que visa medir a resistência física do animal, batimentos cardíacos e sua determinação.

BH

É uma prova básica de obediência e que visa a medir a socialização do cão em locais públicos. O cão com BH, significa que é um cão sociável, com obediência básica e que é capaz de conviver tranquilamente entre pessoas e locais desconhecidos.

CH, GR, CH

Abreviação para títulos de estrutura. CH = Campeão, Gr CH = Grande Campeão, Ch Int = Campeão Internacional, Ch Pan = Campeão Pan-americano.

HD E ED

Termo usado para medir o grau de displasia coxofemoral e de cotovelo. HD e ED – ou Free, significa que o cão é livre de displasia; + -, significa que o cão é "quase isento" da displasia; HD e ED +, significa que o cão tem uma displasia Leve e só é permito o acasalamento com um cão que seja HD e ED -; HD ++ , significa que o cão já tem uma displasia severa e não é permitido o acasalamento.

IMBREEDING- LINEBREEDING E OUTCROSS

São termos usados pelos criadores para separar cada tipo de consanguinidade entre um acasalamento. Um acasalamento com parentesco muito próximo, como por exemplo, entre Pai e filha, meio irmãos, dá-se o nome de Imbreeding. Já entre acasalamentos não tão próximos, como Tio x Sobrinho, Avô x Neto, dá-se o nome de Linebreeding. E entre acasalamentos entre duas linhagens de sangue distintas, sem nenhum parentesco entre as gerações, dá-se o nome de OutCross.

V1, SG1, G

São as classificações utilizadas nas exposições especializadas de Rottweiler. V é a classificação máxima que significa Excelente, seguido do SG, que significa Muito Bom, e depois G, que é a classificação Bom. Os números que seguem as letras são a classificação do cão, seja em 1º, 2º e 3º, assim por diante.

VPG, SCH, IPO

As provas de trabalho servem para avaliar a capacidade que o cão tem de aprendizado, bem como seu espírito de luta. A prova de cão de proteção (em alemão, schutzen = proteger), uma espécie de anjo da guarda da família sobre quatro patas (ou em alemão Schutzengel = anjo da guarda), ou, melhor ainda, o cão da guarda da família (der Schutzhund, Hund = cão). Surgia, em 1906, o primeiro regulamento do Schutzhund, espécie de triátlon canino, envolvendo Faro, Obediência e Proteção, na qual o cão só é aprovado se apresentar desempenho suficiente nas três seções. (STEPHANITZ, 1974). A pontuação máxima é de 100 pontos em cada seção, sendo que para ser aprovado o cão deve fazer no mínimo 70 pontos.

 

O schutzhund foi rápida e amplamente aceito, servindo até hoje como critério de seleção para as raças de trabalho, originando e influenciando diversas formas de competições militares, policiais e profissionais. (STEPHANITZ, 1974).

ZTP

O termo ZTP vem da expressão "Zuchttauglichkeitsprüfung" e significa "Prova de Aptidão à Reprodução". O seu objetivo é selecionar e classificar os exemplares aptos, em termos morfológicos e de temperamento, a serem utilizados na reprodução.

Na primeira parte da prova o cão é medido, pesado e tem avaliados a sua aparência geral, ossatura, cabeça, olhos, cor dos olhos, pálpebras, bochechas, zigomático, stop, focinho, nariz, lábios, ângulo da boca, gengivas, fechamento dos lábios, tamanho, inserção e postura das orelhas, pescoço, garganta, ante-peito, ombros, cotovelos, membros anteriores, metacarpos, angulação da frente, patas, dorso, garupa, cauda, flanco, musculatura, tornozelos, angulação traseira, membros posteriores, pelo e subpelo, marcações e movimentação. Nessa fase são avaliados também o comportamento (medroso; tímido ou assustado; inseguro; desconfiado; amistoso; frio - distante; dominante; descontrolado) e o temperamento (passivo; calmo; ativo; muito ativo).

 

Na segunda parte é testada a sensibilidade a tiro e barulho em ambiente calmo, o comportamento frente a pessoas pacíficas e avaliados o caráter e os impulsos através de exercícios que incluem revistar esconderijos, vigiar e latir, impedir a fuga do figurante, defesa de ataque na fase de vigilância e ataque ao cão à distância quando este deve defender-se sem vacilar. Fonte: Diretoria de Adestramento APRO.

PADRÃO

Classificação F.C.I.

Grupo 2: Pinschere Schnauzer, Molossóides, Boiadeiros e Montamheses

Suíços e raças assemelhadas.

Seção 2 Molossóides

2.1 Tipo

Mastife

Padrão FCI n o 147 - 19 de junho de 2000.

País de origem: Alemanha Nome no país de origem: Rottweiler Utilização: Tração, guarda e boiadeiro Sujeito à prova de trabalho para campeonato internacional.

RESUMO HISTÓRICO

O Rottweiler figura entre as raças mais antigas. Sua origem remonta à época dos romanos, onde foi criado como um cão de guarda e boiadeiro. Esses cães imigraram com as legiões romanas através dos Alpes, guardando homens e tocando o rebanho. Nos arredores de Rottwell, eles se encontraram com os cães da região. Houve, então, uma miscigenação. A tarefa principal do Rottweiler voltava a ser a condução e a guarda de grandes rebanhos, de grandes animais e a defesa do seu dono e seu patrimônio. Ele recebeu esse nome por causa da antiga cidade de Rottweil: Rottweiler Metzgerhund (Cão de açougueiro de Rottweil).

 

Os açougueiros criaram esta raça por pura exibição, sem qualquer utilidade para ele. Assim, no decorrer do tempo, este cão de passeio passou a ser mais utilizado como cão de tração. No início do século, quando se pesquisaram diversas raças para a função policial, o Rottweiler também foi avaliado. Em pouco tempo demonstrou ser extraordinariamente adequado às tarefas do serviço policial. Por esta razão, no ano de 1910, foi oficialmente reconhecido como um cão policial. A criação do Rottweiller pretende um cão forte, preto com marcações em marrom avermelhado, claramente definidas, que, apesar do aspecto geral massudo, não deve prescindir de nobreza, sendo altamente indicado como cão de companhia, proteção e utilidade.

APARÊNCIA GERAL

É um cão robusto, porte de médio para grande, sem ser leve, grosseiro, pernalta ou esguio.

Sua estrutura, em proporções corretas, forma uma fi gura compacta, forte e bem proporcionada, revelando potência, agilidade e resistência.

 

ESTRUTURA E PROPORÇÕES

O comprimento do tronco, medido da ponta do esterno à protuberância do ísquio, é maior que a altura na cernelha, no máximo, 15%.

 

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO

É, basicamente, amigável e pacífico, muito apegado, adora crianças, fácil de se conduzir e ávido por trabalho. Sua estampa revela primitivismo, é autoconfiante, com coragem e nervos fi rmes. Sempre atento a tudo que o cerca, reage com grande presteza.

 

CABEÇA - REGIÃO CRANIANA

Crânio de comprimento médio, largo entre as orelhas. Visto de perfi l, a linha da testa é moderadamente arqueada. Occipital é bem desenvolvido, sem ser muito protuberante.

Stop: bem definido.

 

CABEÇA - ​REGIÃO FACIAL

Trufa bem desenvolvida, mais para larga que para redonda, com narinas relativamente grandes e sempre de cor preta.

 

Focinho não deve parecer alongado nem curto em proporção ao crânio. Cana nasal reta; larga na raiz, diminuindo moderadamente em direção à trufa.

Lábios pretos, ajustados, comissura labial fechada, gengivas escuras, preferencialmente.

 

Maxilares e dentes fortes e largos. Dentição completa (42 dentes), os incisivos apresentam mordedura em tesoura.

 

Faces arcadas zigomáticas bem desenvolvidas.

 

Olhos tamanho médio, amendoados, de cor marrom profundo e pálpebras bem ajustadas.

 

Orelhas de tamanho médio, pendentes, triangulares, bem separadas, de inserção alta. O crânio aparenta ser mais largo quando as orelhas estão voltadas para frente e caídas bem rentes às faces.

 

PESCOÇO: forte, moderadamente longo, bem musculoso, com uma linha superior ligeiramente arqueada; seco, sem barbelas ou peles soltas.

 

TRONCO

Dorso reto, firme e forte. Lombo curto, forte e profundo.

 

Garupa larga, de comprimento médio; ligeiramente arredondada e de angulação média.

 

Peito largo e profundo (aproximadamente a metade da altura na cernelha), com antepeito bem desenvolvido e costelas bem arqueadas.

 

Ventre linha inferior sem esgalgamento.

 

CAUDA

Em condições naturais, ela é horizontal como prolongamento da linha superior; em repouso pode ser pendente.

 

 

MEMBROS

Anteriores vistos de frente, membros retos e moderadamente afastados. Vistos de perfil, antebraços retos e verticais. As escápulas formam um ângulo próximo a 45 o com a horizontal.

 

Ombros bem colocados.

 

Braços bem ajustados ao corpo.

 

Antebraços fortemente desenvolvidos e musculosos.

Metacarpos fortes, ligeiramente flexíveis e oblíquos.

 

Patas redondas, bem fechadas e arqueadas. Almofadas plantares duras, unhas curtas, pretas e fortes.

Posteriores vistos por trás, os membros são retos e moderadamente afastados. Em stay natural, a coxa forma um ângulo obtuso com a garupa e com a perna, assim como a perna com o jarrete.

Coxas relativamente longas, largas e fortemente musculosas.

 

Pernas longas, fortes, amplamente musculosas comandando com vigor os poderosos e bem angulados jarretes, jamais em ângulo muito aberto.

 

 

Patas as posteriores são um pouco mais alongadas que as anteriores, mas igualmente bem fechadas e arqueadas, com dedos fortes.

MOVIMENTAÇÃO

O Rottweiler é um trotador. O dorso permanece firme e relativamente imóvel. A evolução dos movimentos é harmônica, segura, forte e fluente, com um bom alcance de passada.

 

PELE

Couro da cabeça: bem ajustado, podendo, quando em atenção, apresentar leves rugas.

 

 

PELAGEM

Formada por pelo e subpelo. Pelo rijo, comprimento médio, tosco, denso e assentado. Nos posteriores o pelo é um pouco mais longo. O subpelo não deve ultrapassar o comprimento da pelagem externa.

COR

Preta, com marcações bem delimitadas numa rica coloração de castanho nas faces, focinho, garganta, peito e pernas, bem como acima dos olhos e sob a raiz da cauda.

 

TAMANHO / PESO

Altura na cernelha para MACHOS: 61 a 68 cm

- 61 a 62 cm Pequeno

- 63 a 64 cm Média

- 65 a 66 cm Gr ande = altura ideal

- 67 a 68 cm muito grande

Peso: 50 quilos.

Altura na cernelha para FÊMEAS: 56 a 63 cm.

- 56 a 57 cm Pequena

- 58 a 59 cm Média

- 60 a 61 cm Gr ande = altura ideal

- 62 a 63 cm muito grande

Peso: 42 quilos.

FALTAS

Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

Aparência geral: leve, esguia, pernalta; musculatura e ossatura fracas.

Cabeça com expressão de “hound”, muito estreita, leve, muito curta, longa, pesada; testa chata (com pouco ou nenhum stop).

Focinho: focinho longo, nariz romano ou leporino; cana nasal côncava ou caída; trufa clara ou manchada.

 

Lábios abertos, cor de rosa ou manchados, comissura labial aberta.

Maxilares mandíbula estreita.

 

Faces exageradamente pronunciadas.

Dentadura mordedura em torquês.

Orelhas de inserção muito baixa, pesadas, longas, dobradas para trás, assim como caindo abertas ou mal portadas.

Olhos claros, profundos ou redondos. Pálpebras caídas.

Pescoço muito longo, fi no, pobremente musculado, barbelas ou peles soltas na garganta.

Tronco muito longo, muito curto ou muito estreito.

Peito muito longo, fraco, selado ou carpeado.

Garupa muito curta, muito plana, ou muito caída ou muito longa.

Cauda inserção muito alta ou muito baixa.

Anteriores com pernas dianteiras muito juntas ou não retas. Ombros abertos com cotovelos soltos ou voltados para fora; braço muito comprido, muito curto ou muito reto; metacarpos fracos ou retos. Patas abertas; dedos achatados ou excessivamente arqueados, dedos atrofi ados; unhas claras.

Posteriores com coxas planas, jarretes muito próximos, jarretes de vaca ou pernas em barril, angulações muito fechadas ou muito abertas, ergôs.

 

Pele com couro da cabeça enrugado.

 

Textura da pelagem macia, muito curta ou muito comprida; pelagem ondulada, ausência de subpelo.

 

Cor marcações com a coloração errada, pobremente definidas ou muito extensas.

DESQUALIFICAÇÕES

Características sexuais nitidamente reversas (machos afeminados e vice-versa).

Dentes prognatas, retrognatas, torção de mandíbula, cães com falta de 1 molar, 1 pré-molar, 1 canino ou 1 incisivo.

Olhos amarelos, cada um de cor diferente; entrópio, ectrópio.

Cauda quebrada, enroscada, fortemente desviada lateralmente.

Pelagem pelagem nitidamente longa ou ondulada.

 

Cor com ausência das marcações preto e castanho típicas do Rottweiler, ou marcas brancas.

 

Comportamento medrosos, tímidos, covardes, com medo de tiro, excessivamente desconfiados ou nervosos.

 

 

NOTAS

Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem encaixados na bolsa escrotal.

Fonte. Site Confederação Brasileira de Cinofilia

CONTATO

 

TELEFONE
55 (27) 9 9981-6444


E-MAIL
ranchopiorra@gmail.com 


FACEBOOK

canilranchopiorra

YOUTUBE

canil rancho piorra rottweiler